Desabafo durante uma tarde chuvosa

Eliana Leite

Pelo que vivo, pelas ruas em que ando e através da janela do meu quarto, vejo um mundo contrastante. Não consigo juntar as diferenças e pintar um único quadro. Vou abrir a porta para meus convidados. Espero que tirem as máscaras ao chegarem. Desejo pureza, verdade e espontaneidade. Nunca mais uma oportunidade assim surgirá. No jantar, sopa. Para beber, água. O assunto: Brasil. Resultado: lágrimas. Vou-me embora antes que nasça o sol, antes que o carteiro entregue-me o cartão-postal de Paris onde se encontram meus sonhos dourados. Quero voar, quero você, e tudo que tenho é um lençol para me cobrir durante a noite. Estou com frio. Vou acender uma vela e deixá-la queimar por toda a minha vida. Adeus, Grécia. Adeus, Roma. Sou muito mais antiga do que vocês. Sou mais nova que o mundo inteiro. Sou velha e menina ao mesmo tempo. Derrubei seu vaso, mãe. Perdi sua carteira, pai. Cresci. Renasci. E isso machuca…

(1994)

Publicado por

Eli Leite

Apaixonada por livros, filmes, poesia, textos, histórias e estórias

Um comentário em “Desabafo durante uma tarde chuvosa”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.