Quando junto Jojo Moyes e Ruth Manus

Terminei recentemente de ler “A Casa das Marés”, de Jojo Moyes. Devo admitir que adoro os livros dela… E este não decepciona. A história é linda, ambientada em uma casa deliciosa e com personagens marcantes. Quase senti o cheiro do mar da cidade costeira onde se passa a trama. Gosto muito de romances que contam histórias do passado e do presente, com um toque de nostalgia entre si. Sim, tenho um lado romântico incorrigível e encontro refúgio nas histórias de Jojo. Transporto-me para onde ela quer me levar e quando o livro termina sou dessas que lamenta e não quer largar… Recomendo para quem busca uma boa desculpa para se emocionar, para os românticos de plantão e para quem gosta de uma boa história de amor, seja amor entre pessoas, amor próprio, amor pela vida…

Não faz muito tempo que comecei a ler alguns textos da Ruth Manus. Achei interessante, até que assisti a sua palestra sobre mulheres no teatro Opus em 2018. Gostei de seu estilo inteligente e ao mesmo tempo despojado. Esses dias terminei de ler seu livro, o qual é um conjunto das crônicas que escreveu para alguns jornais, como o Estadão (para o qual não escreve mais). Foi uma experiência bem interessante. Senti como se estivesse conversando com uma amiga, pois há muitas semelhanças e até afinidades. É um livro para se ler enquanto se toma uma café, um chá, uma taça de vinho… Tem histórias ótimas e engraçadas, outras emocionantes e reflexivas. Tem alguns textos de que não gostei tanto – quando ela dá espaço para uma certa futilidade ou abraça alguns estereótipos que vão contra os princípios que ela mesma prega (isso acontece em um ou outro, mas não posso deixar de falar). Porém, o saldo geral é positivo. Ruth sabe escrever, tem bagagem cultural, humor e sagacidade. Toca em algumas feridas, levanta algumas reflexões relevantes e, ao mesmo tempo, fala de sua vida pessoal, família, viagens e trabalho. Não tem vergonha de ser bem sucedida e nos convida a fazer o mesmo. Também abraça suas imperfeições e manias e nos diverte com os bons e velhos perrengues e, ao final, celebra o amor. Continuarei acompanhando sua carreira literária e seu perfil no Instagram. Vale a pena!

Publicado por

Eli Leite

Apaixonada por livros, filmes, poesia, textos, histórias e estórias

Um comentário em “Quando junto Jojo Moyes e Ruth Manus”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.