Vida Passageira

Os dias passam, crescem as flores

Do jardim onde brincávamos.

Velhos ideais são abandonados

E o espaço permanece vago

Durante um tempo

Ao qual chamamos juventude.

Os prédios alcançam o céu

Onde brilha o sol

Que antes nos iluminava o sorriso.

As lembranças vão e voltam com o vento

E varrem remorsos ou rancores,

Transformando lágrimas de dor

Em saudades ou indiferença.

A voz da criança chorando

É substituída pelo silêncio

Trazido pelo tempo gasto

Na procura por um sonho

Que, mesmo não se realizando,

Fará parte de nossa vida.

Vamos sentir falta do que nunca tivemos

Ou dos que não conhecemos

E então desistiremos

Do que já é nosso,

Mas não precisamos.

Eliana Leite

1993

Publicado por

Eli Leite

Apaixonada por livros, filmes, poesia, textos, histórias e estórias

Um comentário em “Vida Passageira”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.