Resenha: “O Homem Ridículo”, Marcelo Rubens Paiva

Devo começar dizendo que sou fã deste escritor e dramaturgo brasileiro que fala minha língua, entende o mundo em que vivemos e cujas obras se integram à minha vida de uma forma que parece que ele é um amigo de longa data, sempre presente. Desde o romance que o consagrou, “Feliz Ano Velho”, o qual preciso reler urgentemente, a “Malu de Bicicleta” e “As Verdades que ela não diz”, obras que, para mim, são obrigatórias para quem quiser conhecer este grande escritor. E, anos depois, veio o arrebatador “Ainda Estou Aqui”, o qual recomendo muitíssimo. O roteiro do filme “E Aí, Comeu?”, foi escrito por ele. Se você ainda não assistiu, não perca. Vou ler os outros livros, como “Não és tu, Brasil”, “Blecaute”…

Quanto a este recente, “O Homem Ridículo”, trata-se de uma deliciosa coletânea de contos e crônicas escritas por um boemio que ama as mulheres e as ressalta à maneira que somente este autor pode fazer e que me encanta. Alguns são engraçados, outro tragicômicos, outros sarcásticos… O último conto é lindo e traz aquela melancolia que eu tanto amo e que me fez querer escrever. Foi o Marcelo Rubens Paiva que me atiçou a escrever meu primeiro conto, quando ainda era adolescente e que me instiga a ir além, a buscar meu sonho. Que sorte a minha. Um dia, quem sabe, ele saberá disso. Pode ser que não faça nenhuma diferença na vida dele, mas… certamente ele fez muita diferença na minha.

Leia! Delicie-se!

Publicado por

Eli Leite

Apaixonada por livros, filmes, poesia, textos, histórias e estórias

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.