Sobre o filme “Minha Vida em Marte”

Gostei muito do primeiro filme (“Os homens são de Marte e eh pra lá q eu vou”). Confesso que não havia lido o livro e nem assistido a peça… A sequência veio em uma época diferente… em que Paulo Gustavo está mais famoso que Mônica Martelli e isso faz, sim, diferença… Atingir 4,5mm de espectadores não é pra qualquer um… Seria esse o efeito “Paulo Gustavo”? Que seja… Mônica Martelli tem um trabalho de qualidade e pode se beneficiar da popularidade de Paulo Gustavo, que aqui seria um coadjuvante mas passa a ser co-protagonista. O resultado final é um bom filme, leve, engraçado e com um final “alto astral”. A dupla funciona! Se quiserem repetir a dose, só devem tomar cuidado para não desgastar a fórmula… se fosse classificar de 1 a 5 estrelas, daria 3 estrelas.

⭐️⭐️⭐️

Ao Sabor do Mar

Fim.

Recomeço.

Desata daqui, amarra dali…

Quem dá ponto sem nó?

Sou como o barco a vela,

À própria sorte.

O vento me leva.

Sorte de quem?

Mulher.

Quem define o sexo frágil?

Crueldade com asas quebradas.

Verdade vedada pelo tempo.

Vergonha de chorar.

Engole essa dor, menina.

Olha o balão, o palhaço,

Olha o carro, cuidado…

Pula amarelinha,

Alguns passos… da terra para o céu.

Joga pedra, pulseira, colar.

Que tempo é esse?

Quebra-cabeça, quebra o vaso,

Te quebro, quebram-se aquelas regras

Em silêncio…

Cachorro, gato, criança, grito.

O medo do escuro, dos olhos brancos.

Medo dos braços,

Da prisão sutil,

Das correntes invisíveis.

Quem é livre, afinal?

Doce menina,

Raro sorriso,

Alma doente.

Incapaz de amar?

Concreta demais, profunda demais,

Egoísta sem saber.

Vê no beijo o futuro,

Dilacerado, gasto, roto…

Sente o gosto da permanência

Paradoxalmente efêmera…

Une as mãos ao peito,

Namastê

O deus em mim cumprimenta

O deus em você…

Ilumina o caminho

Deixe-me navegar…

                                                                                                                                              Eliana Leite

                                                                                                                                              (29/06/2005)

Las Chicas del Cable


Essa série é viciante! Tem clichês, tem reviravoltas, tem canastrices, tem beleza, trilha sonora incrível, eh sexy e raspa na trave do cafona, eh engraçada e ao mesmo tempo desesperadora! Tem de tudo e principalmente uma trama e um elenco interessantíssimos! Recomendo! Terminei a primeira temporada e ontem mesmo assisti ao primeiro episódio da segunda temporada.