Filme: “Toy Story 4”

Nota: Muito bom

Assisti no ITunes no dia 19/10/2019. O filme foi lançado em 20/06/2019.

O maior desafio da franquia “Toy Story” é conseguir contar mais uma história com Woody e Buzz sem cair na mesmice ou repetir fórmulas. Já foram abordados temas, como: a criança ter novos brinquedos, criarem novas aventuras com os brinquedos, a criança crescer e ter que doar os brinquedos… O que mais poderia ser inventado?

Foi então que pensaram em focar nos sentimentos de Woody como um “brinquedo velho”. Woody sempre foi o brinquedo favorito de Andy e assim reinou por muitos anos. De repente, ele se vê como um brinquedo “qualquer” e se sente inútil. Pensa que sua nova criança, Bonnie, ainda precisa dele e resolve ajudá-la em seu desafio de ir para a escola. É então que nos deparamos com Woody e sua obsessão em fazer as coisas acontecerem, resolver, mesmo que ninguém tenha dito que ele precisava ter feito tudo aquilo. Isso é bastante visível em sua relação com o novo brinquedo “Forky.”

O que é interessante nessa quarta sequência é a insinuação permanente de que Woody ficou “velho”, mas não admite. Até que a aventura se desenrola e ele se depara com várias situações que mostram que é preciso tomar uma decisão sobre seu caminho. Quantas vezes na vida não nos vemos diante deste tipo de situação? Quando não pertencemos mais àquele lugar e precisamos decidir o que fazer dali para frente? Esses dilemas doem e com Woody não é diferente.

As cenas com os brinquedos antigos são impagáveis e dão a esta sequência um charme ainda maior, mesmo que no segundo filme já tenham abordado a questão de brinquedos de coleção. Aqui, a ótica não é tanto para brinquedos que são colecionáveis, mas sim brinquedos que “pegam poeira”.

Gostei muito e, claro, me emocionei e chorei. Woody continuará sendo meu cowboy favorito por muitos anos.